ASSISTIR [HD] A Todos os Rapazes Agora e Para Sempre (2021) ~ # HD — F I L M E COMPLETO ONLINE (Grátis) Dublado

LEGENDADO →> #A Todos os Rapazes Agora e Para Sempre «Filme 2021 ®Completo En Português

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬ஜ۩۞۩ஜ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

#ASSISTIR ░▒▓█►https://a-todos-os-rapazes-3.blogspot.com/

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬ஜ۩۞۩ஜ▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Em 2018, a adaptação da Netflix do romance para jovens adultos de Jenny Han, To All The Boys I’ve Loved Before, se tornou um sucesso. Não apenas suas estrelas Lana Condor e Noah Centineo ganharam reconhecimento mundial, mas o filme também gerou duas sequências, com a terceira parcela chegando à plataforma de streaming neste fim de semana do Dia dos Namorados.

Agora no último ano, To All the Boys: Always and Forever mostra Lara Jean Covey (Condor) e Peter Kavinsky (Centineo) prestes a se formar. Com mais do que aceitações na faculdade e formatura em suas mentes, o casal luta com o dilema iminente da vida após o colégio.

Desde os eventos em To All The Boys I’ve Loved Before, vimos Lara Jean e Peter superarem a inaptidão social, rivais amorosos e confusão geral para se tornarem o casal comprometido que são agora. Portanto, não é surpresa que Lara Jean esteja decidida a frequentar a faculdade com Peter, que já tem uma bolsa garantida em Stanford. Sua apreensão é motivada por salvaguardar o futuro do relacionamento deles, que ela alimenta com devaneios em meio a uma cerca branca. No entanto, eles são essencialmente destruídos quando a tão temida carta de rejeição da faculdade chega em sua caixa de entrada e dá o pontapé inicial no dilema emocional que impulsiona este trio — especificamente, o futuro de Lara Jean e Peter.

Durante a série de filmes To All the Boys, Lara Jean tem mostrado consistentemente que ela é uma romântica no coração. Nesta edição, no entanto, o sentimento é contagioso — seu pai, Dan (John Corbett), está pensando em propor casamento à namorada, Trish (Sarayu Blue), e até mesmo a cínica Kitty (Anna Cathcart) fica toda risonha sobre um menino coreano chamado Dae. Mas quando ela recebe sua rejeição, o fato de estar mais chateada com seu relacionamento do que entrar na universidade de sua preferência mostra que seu coração ainda está dominando sua cabeça.

A ingenuidade infantil de Lara Jean em seu relacionamento continua a causar caos com seu futuro e baile de formatura e formatura a poucos centímetros, ela não tem certeza se pode ser feliz sem perder Peter. Após os acontecimentos dos dois primeiros filmes, não é surpresa que ela sempre se apegue ao conceito do primeiro amor, até que uma viagem a Nova York a faz perceber que pode ser hora de eles crescerem, separados ou juntos.

Esta lenta mudança de direção em To All the Boys: Always and Forever ecoa a maturidade crescente entre os personagens. Não se aplica apenas a Lara Jean e Peter, que passaram de falsos contratos de relacionamento a conversas sinceras e honestas, mas também aos personagens secundários, como seus respectivos melhores amigos, Chris (Madeleine Arthur) e Trevor (Ross Butler). Até mesmo a ex-namorada de Peter, Gen (Emilija Baranac), a antagonista nos dois filmes anteriores, agora está em termos mais amigáveis, então tudo que nos resta fazer é torcer pelo casal.

A incrível química entre Condor e Centineo continua a trazer um charme que destaca suas performances envolventes, enquanto Cathcart e Arthur adicionam um pouco de atrevimento em meio ao romance. O diretor Michael Fimognari e a roteirista Katie Lovejoy substituem as fantasias aleatórias de sincronização labial por uma trilha sonora pop e “promposals”, que aumentam os níveis de entusiasmo. A combinação desses elementos cria um recurso tão doce e sincero que se torna difícil não ser pego pela fofura do filme.

Para todos os meninos: Always and Forever tem como objetivo ser a cereja de um sundae superdoce. Com suas performances cativantes e final bastante satisfatório, ele marca um belo final para uma charmosa trilogia de comédia romântica adolescente.

#A Todos os Rapazes Agora e Para Sempre filme completo
#A Todos os Rapazes Agora e Para Sempre Assista o filme
#A Todos os Rapazes Agora e Para Sempre Assistir filme online
#A Todos os Rapazes Agora e Para Sempre Assistir filme online
#A Todos os Rapazes Agora e Para Sempre assistir filme livre
#A Todos os Rapazes Agora e Para Sempre assistir filme brasileiroo
#A Todos os Rapazes Agora e Para Sempre assistir filme
#A Todos os Rapazes Agora e Para Sempre download de filmes grátis
#A Todos os Rapazes Agora e Para Sempre assistir filmes online grátis
#A Todos os Rapazes Agora e Para Sempre ver filme em português
#A Todos os Rapazes Agora e Para Sempre youtube movie
#A Todos os Rapazes Agora e Para Sempre filme completo em em portugues
#Filme em portugues A Todos os Rapazes Agora e Para Sempre
#Filme A Todos os Rapazes Agora e Para Sempre em em portugues
#A Todos os Rapazes Agora e Para Sempre — filme em português

“To All the Boys: Always and Forever” — o último filme da trilogia de comédia romântica da Netflix, baseada na série de livros para jovens adultos de Jenny Han — aborda um rito de passagem para filmes adolescentes: Lara Jean Covey e Peter Kavinsky estão se formando no ensino médio e esperando ficar juntos até a faculdade.

Peter (Noah Centineo) entrou na Universidade de Stanford, onde vai jogar lacrosse. Lara Jean (Lana Condor) também quer estudar em Stanford — ela já planejou todo o futuro juntos, desde usar chapéus de Stanford na biblioteca até a publicação de seu primeiro romance. Mas esse plano chega a uma parada brusca quando Stanford a rejeita, enviando-a a uma espiral de ansiedade ao pensar em um relacionamento à distância.
Os fãs dos filmes anteriores encontrarão conforto em escapar para a vida familiar de apoio de Lara Jean — o amor incondicional de seu pai e irmãs legais — tudo filmado naquela paleta de cores twee no estilo Wes Anderson. A Lara Jean que conhecemos e amamos ainda é scrapbooking, assando e se vestindo em achados vintage, e Peter ainda está planejando encontros bonitos para ela, como revisitar o restaurante onde assinaram seu primeiro contrato de namoro falso. Mas a decisão iminente da faculdade torna esses momentos agridoces e mais difíceis de aproveitar.

Então, como o filme final da trilogia, “Always and Forever” luta para equilibrar dois objetivos conflitantes: o crescimento de Lara Jean como personagem e um final feliz comédia romântica.

Os filmes “To All the Boys” sempre funcionaram bem como comédias românticas independentes, proporcionando comida reconfortante com diálogo suficiente sobre raça (Lara Jean é birracial, coreana americana e branca) para parecer mais substancial do que seus predecessores totalmente brancos. No entanto, diminuir o zoom na trilogia revela uma história mais clara da maioridade de Lara Jean.
O primeiro filme funcionou tão bem porque a saga de namoro de Lara Jean a ajudou a ganhar confiança. O segundo filme, embora mais fraco, também ensinou a Lara Jean algumas lições valiosas sobre namoro e amizade. Nesta terceira edição, Lara Jean não está mais ansiosa por um namorado hipotético. Ela agora tem que descobrir os detalhes de ficar juntos, que é muito mais do que a vida adulta realmente é. Até seus devaneios são menos fantásticos. Enquanto nos filmes anteriores ela representava cenas de amor em trajes de época, seus devaneios “Sempre e Para Sempre” parecem mais ou menos com o sonho americano: casamento, um lar, um filho, uma carreira.

Consequentemente, este filme é mais pesado que seus antecessores. Apaixonar-se é mais divertido de assistir do que tentar permanecer apaixonado, e crescer pode ser difícil.
O filme baseia-se na nostalgia através das assinaturas do anuário e da noite do baile, e muitas referências a memórias de filmes anteriores. E Peter processa o trauma de seu pai abandonando a família quando ele era jovem.

Para seu crédito, os filmes de “To All the Boys” não se esquivaram de tópicos sérios. Eles têm sido bons em provocar como o drama adolescente pode realmente prejudicar os jovens adultos (intimidação virtual, ansiedade social). Os filmes também envolveram traumas, já que a morte da mãe de Lara Jean — que representa a conexão das irmãs com sua herança coreana — sempre faz parte do foco dos filmes. Mas os filmes anteriores começaram e terminaram no ensino médio, com um escopo menor para o crescimento do personagem, e “Sempre e para sempre” realmente quer que olhemos para frente.

“Você não pode salvar esse relacionamento não crescendo”, o pai de Lara Jean a aconselha sobre Peter.
Desta forma, “Always and Forever” é um ângulo mais inteligente e sofisticado para um filme de amadurecimento, já que Lara Jean se apaixona pela cidade de Nova York (ela se inscreveu na Universidade de Nova York e visitou a cidade em uma escola viagem) e fica entusiasmada com seu futuro.

Mas um “final feliz” mina essas lições. Pode ter havido uma maneira de lidar com isso de forma mais realista, mas o filme acaba reafirmando abruptamente ideias de contos de fadas sobre a transcendência de um primeiro amor, desfazendo muito do crescimento pessoal de Lara Jean e roubando um pouco da alegria de começar algo novo.

Uma trilogia não deve recontar sua própria história de amor tantas vezes — e nem mesmo os confortos do mundo “To All the Boys” podem tornar esse resultado satisfatório.

Sou um defensor desavergonhado e sem remorso de To All the Boys I’ve Loved Before da Netflix, uma adaptação do romance YA de Jenny Han que simultaneamente lançou as carreiras de Lana Condor e Noah Centineo e tornou a vida extremamente difícil para as outras ofertas da plataforma no gênero. Tenho perguntas sérias para quem prefere, digamos, The Kissing Booth a este, que é o mesmo tipo de caso edificante jovem-amor-conquista, mas sem a química crepitante, escrita inteligente (Katie Lovejoy fez os roteiros ao lado de Han), e performances absurdamente agradáveis ​​que sempre fizeram as angústias de Lara Jean Song Covey (Condor) e Peter Kavinsky (Centineo) se destacarem da multidão.

Duas sequências, Para Todos os Meninos: P.S. I Still Love You (que eu gostei mais do que a maioria) e agora To All The Boys: Always and Forever, foram filmados consecutivamente, mas lançados com um ou dois anos de diferença. As pessoas estavam aborrecidas com o filho do meio estranho porque flutuou a ideia de um triângulo amoroso que realmente não funcionou; o apelo do relacionamento de Lara Jean e Peter sempre foi a sinceridade, apesar de suas diferenças (ela gosta de ler, ele é um atleta). Para essas pessoas, Always and Forever deve ser um retorno bem-vindo à forma, uma vez que não espera que compremos a ideia de que alguém poderia ser tão charmoso quanto Peter. No entanto, sugere que algo que nenhum dos dois previu pode ser sua queda — distância.

Quando o filme de Michael Fimognari começa com Lara Jean e Peter separados — ela está em Seul com sua família nas férias de primavera — é um sinal do que está por vir. A graduação está chegando e, por extensão, a faculdade. Lara Jean planejou tudo. Peter está indo para Stanford para o lacrosse, e ela vai se matricular no programa de literatura inglesa, e eles vão dar as mãos enquanto andam de bicicleta e usam chapéus de árvore para jogos de futebol, embora ela não goste de futebol. Ela imagina uma montagem de felicidade que inclui casamento e pegar as chaves de sua primeira casa e, em seguida, tem que imaginar tudo ao contrário quando descobre que, afinal, ela não entrou em Stanford.

Ninguém deve se preocupar com nada disso. Mas To All the Boys: Always and Forever faz o que os filmes anteriores fizeram e nos enraíza tão completamente no headspace das pistas que suas ansiedades emocionais assumem proporções desproporcionais. Tudo é uma questão de vida ou morte, mesmo que nenhuma vida esteja em jogo; cada decisão é uma calamidade potencial, cada pensamento e sentimento são monumentais. Em toda essa turbulência, Condor e Centineo provam mais uma vez que têm tudo, jogando romântico e compreensivo até que a pressão aumenta e eles têm que jogar com o coração partido e perdidos. Nenhum dos dois sai mal, mesmo em seus aspectos mais vulneráveis ​​emocionalmente, e é por isso que esse trio funciona da mesma maneira que o original.
Mas isso não é um retrocesso. O processo de admissão na faculdade é um novo obstáculo apropriado, mais simbólico do ponto de virada em suas vidas que esses personagens estão se aproximando, e o filme se baseia no que veio antes de várias maneiras. A irmã cômica mais nova de Lara Jean, Kitty (Anna Cathcart), está lidando com um relacionamento de longa distância, e seu pai amoroso, Dr. Covey (John Corbett), está se envolvendo com sua vizinha, Trina (Sarayu Blue). O melhor amigo de Lara Jean, Chris (Madeleine Arthur) está tirando um ano sabático, e a única pessoa que ela conhece que está indo para a escola na cidade de Nova York por quem ela se apaixona durante uma viagem escolar é Gen (Emilija Baranac), seu antigo amor rival. Depois de três filmes, todas essas pessoas sentem que têm muito mais camadas do que no início, o que ajuda a dar à história uma textura vivida.

Você poderia argumentar que To All the Boys: Always and Forever está se baseando um pouco nessa nostalgia, e não há nenhuma sensação real de que não vai atingir todos os ritmos esperados ao longo do caminho para um final superficialmente feliz. Mas você também deve se perguntar o que mais alguém estaria esperando ao assistir a isso. É comida reconfortante e reconfortante em um momento em que o público está ansioso para engolir esse tipo de coisa. Talvez o amor jovem prevalecendo seja o que todos nós precisamos ver.